quinta-feira, 5 de abril de 2018

O Pai Aureliano - Um médico e um místico cristão

Homem de Deus, médico dos pobres, Aureliano Dias Gonçalves, viveu uma vida de santidade, a todos ajudando no corpo e no espírito, sem medir esforços nem trabalhos.

Esposo e pai zeloso, tudo compaginou num amor profundo à Santíssima Virgem Maria e, por Ela, a todos os outros com quem privou, ajudou, colaborou, ou simplesmente, transportou, dando “as suas boleias” com terço incluído, a quem lhe pedia e necessitava.

Toda a sua vida foi um rosário de obras meritórias, reflexo do amor profundo que dedicava a Jesus Cristo e à Santa Eucaristia, fonte segura da força humana e espiritual, tão necessária quanto mais vontade sentia de espalhar com fé e esperança o fervor que lhe abrasava o coração, alargando-o a todos sem excepção.

O seu pulsar apostólico impulsionava-o a chegar aonde sentia que era necessário, aonde via que carecia um olhar diferente, de conforto, de ânimo, de ajuda e de tratamento ou cura.

De palavra fluente, fácil, penetrante e convincente, sempre procurou colocar os seus préstimos ao serviço da Virgem Maria, a quem, desde jovem, se tinha consagrado.

Muitas foram as iniciativas a que se dedicou, quer no sector do ensino, quer no da imprensa, colaborando activamente no apostolado da comunicação social de pendor católico.

Não se ficando pela palavra oral ou escrita, também se lançou na epopeia de várias iniciativas: uma pequena tipografia que funcionou na sua própria residência, a Casa Nun´Álvares com a Gráfica de Gouveia e as Edições Lux, assim como na construção do novo edifício para o Colégio Nun´Álvares.

Fruto de seu empenho e aliado ao seu nome, em 1956, a União de São João Baptista e de Maria Rainha, Congregação religiosa que difundia a mensagem de Fátima na Alemanha, veio para Portugal e foi na Cidade de Gouveia que iniciou o seu trabalho apostólico, onde construiu um edifício para tipografia, um seminário e um convento: a Casa Rainha do Mundo. 


Anos mais tarde, daqui irradiou um ramo de apostolado para o continente africano, Nampula, Moçambique, a cargo de uma filha sua que veio a pertencer a esta Congregação – a Irmã Assunção.

Também outra sua filha, Teresa Osório Gonçalves, uma portuguesa no Vaticano, foi convidada como especialista para o Conselho Pontifício da Cultura tendo merecido um forte reconhecimento pelo seu trabalho e empenho no estudo Jesus Cristo portador de Água Viva, Uma reflexão Cristã sobre a «Nova Era».


Construir uma Cidade da Imaculada, em Fátima, foi outro dos seus sonhos que concretizou, seguindo como modelo S. Maximiliano Kolbe, tendo publicado várias obras como autor e editor, destacando-se com milhares de exemplares as obras - A Vida em Casal e Mãe quero viver.
















Da riqueza desta vida que se espelhou um pouco por todo o lado nos dá conta um recente livro da autoria do Dr. Mário Simões Dias, que em boa hora compilou e nos deixou o testemunho deste homem da Ciência e de Deus que pela vida passou com dedicação e em estado de missão, como aliás. 

Na terra, na família, no trabalho e na devoção, sempre em unidade de vida como bom cristão, pois todas as suas facetas se complementavam e enriqueciam o seu fervor a Deus e ao bem, à harmonia e à paz.

Maria Susana Mexia

Sem comentários:

Enviar um comentário