quinta-feira, 5 de abril de 2018

Os Cristãos e os horóscopos

Muitas pessoas vivem atentas às previsões do horóscopo. Alguns jornais, mesmo católicos, têm uma secção com “o que os astros dizem”. 

Mas será que um cristão deve acreditar nestas predições?

O propósito de um horóscopo é obter conhecimento sobre o carácter de uma pessoa e prever o futuro. A crença básica da astrologia é que os planetas e estrelas exercem influência sobre as nossas vidas. 

Um verdadeiro cristão não deveria acreditar em horóscopos. Ainda que se trate de uma das prácticas supersticiosas mais difundidas na nossa sociedade, o horóscopo não serve para predizer os futuros actos livres das pessoas. Antes, pode servir para as influenciar negativamente, criando temores, ansiedades e até provocar um certo pactuar com algumas práticas condenáveis.

Querer conhecer o futuro é pretender ser igual a Deus – pretensão tão soberba quanto absurda. Devemos confiar a nossa vida à Divina Providência e não abrir espaço para deixar entrar superstições maléficas e malignas.

A Bíblia proíbe expressamente a adivinhação, feitiçaria e as artes ocultas, diz-nos que a nossa confiança está só em Deus, ao qual devemos prestar adoração e culto. Qualquer outra fonte de orientação, informação ou revelação deve ser rejeitada de imediato.

“Todas as formas de adivinhação devem ser rejeitadas: recurso a Satanás ou aos demónios, evocação dos mortos ou outras práticas supostamente ‘reveladoras’ do futuro.

A consulta dos horóscopos, a astrologia, a quiromancia, a interpretação de presságios e de sortes, os fenômenos de vidência, o recurso aos ‘médiuns’, tudo isso encerra uma vontade de dominar o tempo, a história e, finalmente, os homens, ao mesmo tempo que é um desejo de conluio com os poderes ocultos. Todas essas práticas estão em contradição com a honra e o respeito, penetrados de temor amoroso, que devemos a Deus e só a Ele” (Catecismo da Igreja Católica - 2116).

Pelo exposto concluímos que a astrologia se opõe ao ensino da Bíblia e ao do Catecismo. Como cristãos, devemos orar ao Senhor a fim de ganhar sabedoria e orientação. Consultar um horóscopo é uma violação dos meios de comunicação entre Deus e os Seus filhos. 

A atitude da Igreja em relação aos horóscopos sempre foi de clara condenação. Porém, é bom pensarmos como nada do que os horóscopos afirmam está cientificamente provado. O que dizem umas vezes sobre um signo, dirão outras vezes sobre outros, além de que é tudo muito vago, incoerente e sem algum conteúdo credível e coerente.

É triste, de facto, que continuem a escrever horóscopos, a publicá-los e a lê-los; mas pior ainda é saber que existem pessoas que acreditam em tudo o que leem e se deixam influenciar cegamente por tais disparates. 

Se para os crentes é suposto que estas mentiras não os possam afectar, porque recorrem a Deus em busca de amparo, de protecção, de serenidade e de paz, para os mais vulneráveis, os descrentes e os desesperados, que facilmente se deixam atrair e seduzir pela aventura do oculto, é um caminho deplorável de mentira e superstição maléfica que os canaliza para a dúvida, o medo e o mal, para eles e para a sociedade em geral, na medida em que um ser que pactua com o maligno sempre perturba o bem que é suposto existir em seu redor.

Entre a Ciência, a Religião ou videntes e bruxas, a escolha é de cada um, mas terá de assumir as consequências das suas opções.

Manuel Maria de Vasconcelos



Sem comentários:

Enviar um comentário